PESCA ESPORTIVA

E nesse sentido, o turista desempenha um papel de importância fundamental, necessitando uma conscientização de sua responsabilidade como agente passível de influir no equilíbrio ambiental inerente disto, procuramos aqui passar alguma informação útil sobre a realidade encontrada na região, do ponto de vista de quem vive o dia-a-dia no Araguaia. Acreditamos que a orientação e a conscientização são fatores muito superiores a simples imposição de um rosário de proibições e uma infinidade de leis (as vezes confusas e de difícil aplicação) na obtenção de resultados permanentes.
Eu tinha onze anos e a cada oportunidade que surgia ia pescar no araguaia, a temporada de pesca so começaria no dia seguinte mas eu e meu pai saimos no fim da tarde para pegar apenas peixes cuja captura estava liberada e amarei uma isca e comesei a praticar arremessos provocando ondulaçoes coloridas na agua logo elas se tornaram prateadas pelo efeito da lua nascendo sobre o araguaia,quando o canino vergou eu soube que havia algo enorme do outro lado da linha.
O meu pai olhava com admiraçao enquanto eu habilmente e com muito cuidado erguia o peixe, exausto da água era o maior que eu ja tinha visto, porém sua pesca só era permitida na temporada. Eu e meu pai olhavamos para o peixe tão bonito, as guelras movendo para trás e para frente. O meu pai então, acendeu um fósforo e olhou para o relógio pouco mais de dez da noite  e ainda faltava quase duas horas para a abertura da temporada. Em seguinda, olhou para o peixe e depois para mim dizendo, você tem que devolvê-lo filho, mas pai, eu reclamei. Vai aparecer outro, insistiu. Meu pai não tão grande quanto este choraminguei. Olhei em volta do Araguaia e não havia outros pescadores ou embarcações a vista. Voltei novamente a olhar meu pai mesmo sem ninguém por perto. Sabia que pela firmeza de sua voz, que a decisão era inegociável.
Devagar tirou o anzol da boca do enorme peixe e o devolveu a água do Araguaia. O peixe movimentou rapidamente o corpo e desapareceu. Naquele momento, tive a certeza de que jamais pegaria um peixe tão grande quanto aquele. Isso aconteceu há trinta e quatro anos. O Araguaia continua lá e eu levo os meus filhos para pescar no mesmo lugar. Minha intuição estava correta, nunca mais consegui pescar um peixe tão maravilhoso como daquela noite, porém, sempre vejo o mesmo peixe todas as vezes que deparo com uma questão ética porque como o meu pai ensinou, a ética é simplesmente uma questão de certo  e errado.  Agir corretamente quando se está sendo observado é uma coisa ética, porém, estar agindo corretamente quando ninguém está nos observando. Esta conduta reta só é possível quando desde criança aprendeu-se a devolver o peixe a Água. 

1/8